Além do domínio de conteúdos e empatia, uma boa formação do professor pode garantir ao aluno e à comunidade a possibilidade de responder aos desafios contemporâneos impostos pelas constantes transformações da sociedade que exige que o docente tenha desenvolvido competências e habilidades para que possam ler esta nova realidade. O IPBHN atua junto a docentes no que tange à sua formação continuada.
Educar: uma tarefa gratificante.

Pensando nisso, o que é ser professor?

Sob nossa perspectiva ser professor é ser muito mais do que ser um mero transmissor de conhecimentos, é ser um mediador do processo-ensino-aprendizagem. Ser professor é perceber que quanto mais se estuda mais se descobre o quanto há ainda por aprender, também é aquele que estimula seu aluno e o conduz à autonomia, colocando-o ativamente como centro do processo educativo, estimulando seu desenvolvimento e transformação, contribuindo para seu amadurecimento, além de ser um porto seguro para que estes navios-alunos, com segurança,  possam cruzar por mares nunca antes navegados sabendo que, para isso, possuem as ferramentas necessárias e que sabem utilizá-las. Um bom professor enxerga que pode formar uma grande frota capacitada. E o porto? O porto estará sempre lá para nortear a rota desses jovens navios. Esta é a figura do professor na qual acreditamos.

E auxiliar na formação docente?

Participar desse processo é “uma aventura” partilhada por aqueles que ensinam, trocam experiências e aprendem uns com os outros.  É estabelecer pontes de conhecimento.

Além de ter uma boa formação continuada, ter domínio de conteúdos, esse professor deve ter empatia para com o aluno e a comunidade, encarar os desafios impostos pelas constantes transformações da sociedade contemporânea e estar apto para ler esta nova e tecnológica realidade.

Trabalhando com bases fundamentais, como a BNCC e os ODS, provocamos discussões, estimulamos práticas e utilizamos metodologias ativas, inserindo os participantes no centro no processo, através de uma visão de educação gradativa, interativa e formativa. Inclusive, conectando e reduzindo a distância entre o Ensino Fundamental I e o Ensino Fundamental II ao aproximar os docentes: estabelecendo pontes.